MCTIC*Modelos

Canvas de Projetos (DEGEP)

By maio 6, 2020 maio 7th, 2020 No Comments

Canvas de Projeto DEGEP – MCTIC

No Modelo Canvas DEGEP o gerente de projeto e sua equipe poderão fazer o protótipo do modelo mental do projeto.

O Canvas além de permitir a representação visual do plano de projeto, também permite que o plano de projeto possa ser modificado quantas vezes for necessário.

As cinco informações que movem o CANVAS são as perguntas:

Por que? (em laranja)

O que? (em roxo)

Quem? (em branco)

Como? (em azul)

Quanto? (em verde)

E quais incertezas (riscos)? (em vermelho)

Perguntas que foram elaboradas fundamentadas no método 5w2h para construção de plano de ação, e que por isso, foram levadas em conta e como base para a estruturação do modelo em questão.

Para o melhor desenvolvimento e aproveitamento do Canvas, cada quadrante deverá ter descrições curtas e precisas, afinal a maneira mais simples de descrever o projeto é utilizando o mínimo de palavras possível.

Um dos primeiros quadrantes a ser preenchido deve ser o de PITCH que está estrategicamente localizado no alto, é onde fica indicado o que o projeto pretende entregar, é importante ressaltar que o resultado final esperado deve ser descrito em apenas uma frase.

Ao lado de PITCH está o quadrante (GP) destinado para conter as informações referentes ao Gerente de Projeto responsável pelo projeto.

De acordo com as cinco perguntas que vimos incialmente: (Por que?, O que?, Quem?, Como?, Quanto?, E quais incertezas (riscos)?), podemos ver como o modelo Canvas DEGEP está estruturado justamente para corresponder a essas questões.

Por que?

Logo no início, uma das etapas mais importantes é que o gerente de projeto e sua equipe respondam o porquê da realização do projeto, e são esses os dados que entram no quadrante de JUSTIFICATIVAS.

Abaixo de JUSTIFICATIVAS está a área para OBJETIVOS, em relação ao OBJETIVO SMART, que corresponde a Objetivos:

  • Specific (específicos)
  • Measurable (mensuráveis)
  • Attainable (atingíveis)
  • Realistic (realistas) e
  • Time Bound (temporizáveis).

A seção para BENEFÍCIOS vem logo abaixo, e é um espaço onde deve ser descrito o que a empresa conquistará após a implantação do projeto.

O que?

Preencher os quadrantes de “Produto” e “Requisitos” em referência a questão de “O que”, principalmente levando-se em conta a importância de se definir as necessidades e as características do produto e o que se refere a qualidade, satisfação ou insatisfação.

Quem?

Em relação aos quadrantes “Equipe” e “Stakeholders”, eles correspondem a pergunta “Quem”.

A Equipe é todos os participantes que são responsáveis por produzir as entregas do projeto. Exemplo: gerente do projeto, analista do PMO, consultor de projeto, analista de processos, instrutor. Subcontratados e outros que estão produzindo entregas também são equipe do projeto.

Abaixo de EQUIPE está uma área reservada para a exposição dos STAKEHOLDERS, que podem variar de: Stakeholders envolvidos no projeto, subordinados ao gerente, atuantes, que recebem informação, que dão informação… Os STAKEHOLDERS são todos aqueles impactados em algum nível pelo projeto, mesmo que só se sintam assim.

No campo “Fatores Externos” devem ser elencadas situações externas ao projeto que não podem ser controladas diretamente, mas que apresentam possibilidade de impacto no projeto. É o local necessário para descrever sobre os Stakeholders que são externos ao projeto, mas que oferecem produtos ou serviços que são utilizados ou que são beneficiários do produto do projeto. E também, para a descrição dos fatores externos ao projeto que não estão sob comando do gerente de projeto.

Como? + Premissas + Restrições

A quarta pergunta: – COMO? – Nessa etapa, respondemos como o trabalho será entregue no projeto. Para que o projeto ocorra naturalmente, é importante definir quais são as entregas, suas premissas e restrições. As entregas também podem ser associadas a quem (da equipe do projeto) é responsável por elas.

As “PREMISSAS”, são suposições dadas como certas sobre o ambiente e os fatores externos ao projeto, que não estão sob controle do gerente de projeto.

Os “Grupos de Entregas”: São os componentes concretos, mensuráveis e tangíveis que serão gerados pelo projeto. São as entregas, os deliverables. No modelo de Canvas DEGEP, existe a área: “EAP –Estrutura analítica do Projeto”, boa prática do PMBok, para fins de melhor definir o escopo de projeto.

As “RESTRIÇÕES”, área destinada para a descrição das limitações do projeto (independente de sua natureza e origem) que impactam no desenvolvimento do trabalho da equipe.

Quanto?

O quadrante “CUSTOS” corresponde diretamente a questão de QUANTO?: “Quanto será gasto para concluir esse projeto?”

Quais as incertezas (riscos)?

Os quadrantes em cor vermelha, correspondem a questão de “Quais Incertezas (RISCOS)?”

As AMEAÇAS são eventos futuros e incertos que afetam o projeto de forma negativa, e que por isso eles devem ser analisados, combatidos, prevenidos e monitorados.

As OPORTUNIDADES são também eventos futuros que afetam o projeto, porém são positivos, e devem ser explorados sempre que possível, assim também precisando que sejam avaliados e monitorados.

A ANÁLISE DOS RISCOS é uma análise subjetiva, ela leva em consideração a probabilidade de um evento de risco ocorrer e o seu eventual impacto.

A área de “FAZER ANTES” é destinada para descrever o que deve ser implementado antes da ocorrência de riscos, com o intuito de evitar, mitigar, compartilhar, transferir, ou até mesmo, aceitar os seus efeitos. Enquanto a área de “FAZER DEPOIS” são medidas de contenção e o que deve ser implementado no caso de ocorrência de riscos.

Leave a Reply

9 − 7 =